Skip to main content

O varejo e a tecnologia

Em artigos anteriores escrevi sobre o futuro do varejo com a loja física e virtual (e como o surgimento do e-commerce suscitou dúvidas em relação à sobrevivência da loja física e da necessidade desta se reinventar) e também sobre a mudança do cliente, principalmente devido ao avanço das tecnologias móveis (smartphones). O que propiciou esta evolução do varejo foi a tecnologia. Conforme McFarlan (1998), a tecnologia pode ser uma fonte de vantagem competitiva, pois introduz novas ferramentas, melhora a eficiência, os processos das empresas e traz novas estratégias de marketing.

A Amazon é um exemplo de empresa com alta tecnologia, que era puramente virtual, mas sentiu necessidade de evoluir e começar a levar experiência física para o consumidor. Com isto, em novembro de 2015 abriu sua primeira livraria em Seattle, EUA. Foi uma forma de levar novos conceitos, ideias e dados do seu formato de venda on-line para o mundo off-line e, principalmente, atender a demanda do cliente que busca cada vez mais comprar onde e quando quiser e sem distinguir o físico do virtual. E como um varejista que está sempre inovando através da tecnologia, vai inaugurar agora em 2017 um armazém/mercearia (grocery store), a Amazon Go.

A loja, que começou a ser projetada em 2012, está sendo testada pelos funcionários da empresa, pois não é um local tradicional onde as pessoas entram, escolhem o que vão querer comprar e passam no caixa com seus produtos. Não! O cliente entra, escolhe o que quer e sai sem passar por nenhuma fila e nem caixa (check-out). É a tecnologia e o smartphone a serviço do consumidor. Veja o vídeo sobre o a loja (em inglês):

Demonstra que o varejo e a tecnologia estão cada vez mais próximos e o varejista precisará dela para se manter no mercado e atender o consumidor. O futuro é a tecnologia, com a experiência de compra para o cliente e a integração dos canais (o omnichannel). Claro que no Brasil ainda estamos muito longe de conseguir adotar a que está sendo usada pela Amazon (foram mais de 4 anos de pesquisa/projeto), além disto, é outra realidade e ainda estamos engatinhando neste mercado.

O fundamental é ficarmos atentos a estas inovações para identificarmos o que podemos fazer, adaptar e/ou integrar para aumentar a eficiência e melhorar o desempenho global da empresa. A tecnologia, se bem aplicada, pode aumentar a inovação e até mesmo melhorar processos básicos de gestão em compras, de estoques e de vendas e com isto gerar melhores resultados e atrair mais clientes.

Artigo originalmente escrito no Linkedin: https://www.linkedin.com/pulse/o-varejo-e-tecnologia-aline-autran-de-morais

 

Aline Autran de Morais

Mestre em Administração com linhas de pesquisa em Omnichannel; Inovação em Marketing para o varejo; Marketing Digital; Gestão de Fornecedores. Especialização em Marketing, MBA em Gestão de Varejo e Gestão Empresarial. Mais de 20 anos de experiência em varejo de moda, tendo atuado como Gerente de Produto e Gerente de Gestão de Fornecedores na Lojas Renner, Gerente de Supply e Operações na Uatt?. Sócia-proprietária da Ideiamais.