Skip to main content

A Tecnologia Provoca o Futuro da Moda

No dia 02/01/18, a Amazon patenteou um espelho inteligente de “realidade misturada”, que sobrepõe a roupa no reflexo, assim como é capaz de colocá-la em uma cena virtual, combinando a roupa perfeitamente com a ocasião (como para ir à praia ou em um restaurante). Também é possível adicionar objetos à cena. Isto pode ser um sinal de como será o futuro da moda e como as pessoas irão comprar. Conforme consta na patente, este espelho usa uma combinação de espelhos, luzes, projetores, displays e câmeras para projetar a imagem de uma determinada configuração na tela.


Fonte: CNN tech (2018)

Não ficou claro, e nem foi comentado pela empresa, de onde as roupas virtuais viriam e se o espelho já está desenvolvido pela Amazon. Entretanto, presume-se que seria uma nova forma da empresa vender mais roupas, visto que ela tem investido no mercado de vestuário. Recentemente lançou outro produto voltado para este mercado, o Echo Look. Este dispositivo é um assistente de estilo, pois ajuda a pessoa a decidir o que usar, escolhendo entre dois looks o melhor para ela vestir. Possui uma câmera controlada por voz que tira as fotos da pessoa com dois modelos de roupas e uma ferramenta de verificação de estilo, um aplicativo que combina tecnologia de machine learning e especialistas em moda, o que possibilita decidir qual dos dois modelos é o ideal. Ele ainda sugere outros modelos para comprar baseado nas fotografias tiradas.


Aplicativo Echo Look

A Amazon é um exemplo de empresa que está sempre trazendo novas tecnologias, porém não é a única a usar espelhos inteligentes. As lojas Neiman Marcus e  Nordstrom também testaram espelhos inteligentes nos provadores e a Rebecca Minkoff tem espelhos que permitem que os clientes vejam aparência, cores e tamanhos. O espelho “inteligente” pode sugerir o jeans que combina com a camisa, pode comparar imagens lado a lado para a pessoa decidir a melhor e, ainda, mostrar como determinada peça vai vestir, sem precisar provar. À medida que a tecnologia evolui e se torna mais barata, mais lojas poderão experimentar essas inovações.

Estas novas tecnologias são uma forma das lojas físicas evoluírem e competirem com os varejistas do mundo online, principalmente com a Amazon.com que detém 43,5% das vendas no comércio eletrônico dos EUA, que conseguem coletar informações de navegação dos compradores para sugerir outros produtos. Com isso, as lojas começam a poder coletar também informações de seus clientes, assim como, trazem uma nova experiência em provadores, deixando-os mais interativos, atrativos e modernos, pois muitas vezes o provador tradicional é mal iluminado, apertado, mal cuidado e até mesmo sujo.

A loja da Rebecca Minkoff é destaque em inovação e tecnologia em loja física. Uma tela sensível ao toque permite que a cliente recorra ao catálogo de produtos e indique os que ela deseja provar. Insere seu número de celular e, quando o vestiário estiver pronto, recebe a mensagem do vendedor. No vestiário, o espelho “inteligente” tem sensores que leem as etiquetas de identificação de radiofrequência nas roupas e exibe os itens em uma tela sensível. Também faz sugestão de peças complementares (exemplo: cliente está com um jeans e uma blusa e na tela aparecem sapatos e cintos que coordenam). A cliente pode ainda escolher o idioma da tela e ajustar a iluminação, que pode ser noite, dia, entre outras. Caso algum item ou cor não esteja de acordo, ela toca na tela e uma solicitação vai para os dispositivos móveis dos funcionários da loja. Isto tudo oferece uma experiência de compra ao cliente, faz com que gastem menos tempo no vestiário e possibilita que comprem mais. A loja também permite que os clientes façam a compra pelo Apple Pay e Andoid Pay e se algum item que deseja não estiver disponível na loja, pode acessar o site através da tela do espelho e efetuar a compra on-line. Os itens que o cliente experimentou no provador, mas não comprou, serão salvos e enviados para seu telefone, possibilitando que possa comprar em outra oportunidade através do e-commerce.


Fonte: Oak Labs’ mirror – Bloomberg Businessweek (2017)


Fonte: Rebecca Minkoff SoHo store’s self checkout module.

Além de disponibilizar dados que façam conhecer o cliente, outra grande vantagem destes espelhos “inteligentes” é identificar o desempenho de produtos não vendidos. Como exemplo, uma jaqueta de couro foi experimentada 70 vezes em um dos provadores “inteligentes” da loja da Rebecca Minkoff, mas ninguém comprou. Verificou-se que metade dos clientes pediu um tamanho diferente através da tela. Com isso, pode-se presumir que o tamanho disponível do produto na loja não estava adequado ao público. Esta tecnologia também está ajudando a vender mais. Conforme Uri Minkoff, Co-fundador e CEO Rebecca Minkoff, 30% dos clientes pedem itens adicionais quando estão nestes vestiários. As lojas que já estão com esta tecnologia aumentaram as vendas em 50%, e muitos clientes que ficaram indecisos de comprar na loja, compraram no e-commerce depois que receberam a notificação dos itens escolhidos.

Entretanto, existem outras inovações tecnológicas sendo usadas por estas lojas. A Amazon já criou o Amazon Go , onde o cliente entra na loja, seleciona seus produtos e sai sem passar por nenhum atendente ou caixa, pois tudo é feito automaticamente pelo aplicativo de celular, sistema chamado por eles de “Just Walk Out Shopping” (tem um artigo sobre isso no blog – O varejo e a tecnologia, de 16/01/2017). A loja Rebecca Minkoff também criou uma versão de auto check-out com uma mesa de leitor RFID que envia detalhes do produto para o iPad usado para a compra e que o cliente insere informações do seu e-mail e passa o cartão de crédito para pagar. Porém não é tão avançada, pois, embora a etiqueta de segurança desbloqueie após o pagamento, a cliente precisa tirá-la manualmente dos produtos que comprou.


Fonte: Rebecca Minkoff SoHo store’s self checkout module.

É claro que tem empresas que conseguem ter bom desempenho sem tanta tecnologia e inovação, pois trabalham com outros fatores que são essenciais no varejo. Contudo, não podemos negar que a nova geração é bastante atraída pela conectividade e que estas lojas servem de inspiração para as mudanças que o varejo de moda precisa passar para acompanhar o mercado.

 

Fonte:

CNNMoney (Nova York) http://money.cnn.com/2018/01/03/technology/amazon-smart-mirror-patent/index.html by Kaya Yurieff   @kyurieff January 3, 2018

‘Smart Mirrors’ Come to the Fitting Room – Matthew Townsend, Bloomberg Businessweek, 2017 – https://www.bloomberg.com/news/articles/2017-02-16/-smart-mirrors-come-to-the-fitting-room

Lisa Lockwood. Minkoff to Offer Self-Checkout Option at SoHo Store. WWD. 2016 http://wwd.com/business-news/retail/minkoff-to-offer-self-checkout-option-at-soho-store-10716860/

Aline Autran de Morais

Mestre em Administração com linhas de pesquisa em Omnichannel; Inovação em Marketing para o varejo; Marketing Digital; Gestão de Fornecedores. Especialização em Marketing, MBA em Gestão de Varejo e Gestão Empresarial. Mais de 20 anos de experiência em varejo de moda, tendo atuado como Gerente de Produto e Gerente de Gestão de Fornecedores na Lojas Renner, Gerente de Supply e Operações na Uatt?. Sócia-proprietária da Ideiamais.